um Afincado Malbec 2007 e duas empanadas de carne, por favor

o grande Thadeu Ávila recusou o convite feito por um de nossos amigos para assistirmos, hoje, ao canto do cisne flamenguista, contra o Lanús-ARG, nesta maldita Libertadores 2012. explicou que está na Argentina e vai, na hora da extremunção do Flamengo, procurar um bar e ver o jogo rodeado “deles”. encerrou o email pedindo que desejássemos sorte.

ora, Thadeuzim, para começo de conversa, “eles”, a torcida do Lanús, é formada por quatro caras – parece que está chegando mais um agora, por conta da boa campanha. é mais fácil encontrar torcedor do Bangu pelas ruas de Buenos Aires do que um “deles”. pode procurar o bar, sentar-se tranquilo, pedir uma Quilmes e apreciar mais um nefasto espetáculo do nosso time, o provável último ato de uma das mais lamentáveis campanhas do Flamengo na competição.

na verdade, você estará mais em paz aí do que eu aqui, onde teremos que lidar com a velha e recalcada torcida arco-íris, caso a eliminação de fato se confirme. é claro que lidaremos com a superioridade habitual – nariz em pé, o “hexa” indicado nos dedos das mãos e exibindo o estandarte que nos diferencia dos pequenos: o sorriso de um campeão do mundo.

ou seja, aproveite a terra portenha, farte-se de empanadas e dos deliciosos cortes de carne, troque a Quilmes por um bom “Terrazas de Los Andes”, se o paladar pedir. e caso um dos granates apareça, ria da zoação, converse sobre o momento econômico dos dois países e chame, por acaso, as Malvinas de Falklands no fim da conversa.

por aqui ficaremos, defendendo o orgulho de ser rubro-negro junto àqueles que tanto nos odeiam. porque, apesar da eliminação já quase sacramentada, a bola costuma fazer das suas. e, se por milagre o Flamengo passar, não tem santo que os proteja da nossa ressurreição.

Posted in Uncategorized | Leave a comment

cara de cavalo

coitada da menina que nasceu com cara de cavalo.

a feiura conduziu sua vida, levando-a primeiro à solidão e à reclusão, depois aos livros, à musica, à cultura, então a um mundo mais intelectualizado, de menos aparência e mais conteúdo, onde acabou se encontrando, crescendo e aflorando, até virar editora de cultura de um grande jornal e se casar com um famoso e bem sucedido roqueiro com cara de sapo.

que sortuda a menina que nasceu com cara de cavalo.

hot horse girl  “Você não conhece o Abbas Kiarostami???”
Posted in croniquetas, prosa poética | Tagged , , , , , , , , | Leave a comment

você me faz :-)

ocupada no MSN. disponível no Gtalk.

qual será seu verdadeiro status? ou seriam os dois? talvez os dois, sim. o MSN é a praia de domingo das mensagens instantâneas. tá todo mundo lá: novos amigos, velhos conhecidos, ex-namoradas, contatos profissionais, gente que você nem conhece. é normal deixar um ocupado eterno ali, para espantar os chatos de plantão. pra certas pessoas, estamos sempre ocupados. o Gtalk é mais como o Jobi, também tem uma galera, mas é bem mais seleto. dá pra deixar um “disponível” nos dias de bom humor.

ainda estou divagando sobre estas babaquices quando vejo a janela do Gtalk piscando. é ela:

– chegou bem?

respondo que sim e emendo uma piada ruim. sou pouco inspirado pela manhã. ela é gentil:

– 🙂

falamos amenidades, brevemente. nenhuma palavra sobre a noite anterior. mais uma vez, fico na dúvida: se não tivesse sido legal, ela não tomaria a iniciativa de falar comigo, certo? mas por que não comentou nada, então? afinal, não passamos a noite calculando nosso imposto de renda.

a gente se conhece faz tempo. e apesar da enorme afinidade consumada logo de cara, sempre tivemos péssimo timing: ou ela estava namorando, e eu na esbórnia, ou ela solteira e eu encoleirado. só entramos em sintonia quando casamos. só que com outras pessoas.

não vou falar nada sobre ontem. vou esperar ela dar a deixa. se não der, paciência, eu é que não vou falar. as mulheres modernas, eu li num site, detestam os caras que perguntam “você gostou? foi bom pra você?”.

ela me pergunta do Carnaval, se eu vou pra lá. nem lembro o que eu respondi, acho que falei “provavelmente”. ela não disse mais nada. saco. perguntou porque quer que eu vá ou porque está com receio de me encontrar?

a minha vontade é falar que a pele dela é a mais macia do mundo, que eu tenho muito mais pra dar, que uma noite é muito pouco pra gente. mas não falo nada. fico com medo que ela me entenda mal. não a estou pedindo em casamento. nem em namoro. não ainda. só queria deixar claro que eu gostei muito de passar uma noite com ela, e que gostaria de repetir.

ah, quer saber, vou falar.

clico na janela do Gtalk, que estava minimizada.

offline. no MSN também.

deixa. outra hora eu falo.

Posted in amor, diálogos, prosa | Tagged , , , | Leave a comment

coisa sem razão

niilismo, visto na televisão.
o galho cai da árvore,
a idosa se esparrama pelo chão.

Posted in haikai, poesia | Tagged , , , | Leave a comment

Clube Atlético Interiorense (C.A.I.) – hino oficial

Interiorense! Interiorense!
Volta e meia ganha do Fluminense.
Interiorense! Interiorense!
Volta e meia ganha do Fluminense.

Três Rios, Valença e Conservatória!
Sua raça nos leva à vitória!
Cabo Frio, Macaé e Niterói
Verão que o teu filho é herói!

Resende, Passa-Quatro, Angra dos Reis
Nossas glórias são Parati
Seropédica, Saquarema e Mauá
Orgulho maior não há

Interiorense! Interiorense!
Volta e meia ganha do Fluminense.
Interiorense! Interiorense!
Volta e meia ganha do Fluminense.

Nos gramados ou em um Bom Jardim
Vamos pra cima, só no Varre-Sai
Alviverde é nossa garra e moral.
Friburgo, a nossa bela capital!

Piraí, maluco!
Piraí, maluco!
Piraí, maluco!
Piraí, maluco!
Piraí, maluco!
Piraí, maluco!

Interiorense

C.A.I.

Posted in futebol, ideias, universo pessoal | Tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a comment

deus ex machina

esperando conter o avanço das religiões evangélicas, a igreja católica inicia vasta distribuição de “caixas eletrônicos litúrgicos”; vending machines, como as da Coca-Cola

assim elas funcionam:
o pecador (não somos todos?) coloca uma moeda – o dízimo – e o painel se acende. nas versões mais modernas toca musiquinha suave. o pecador aperta o botão ‘confesse!’ e fala em um pequeno buraco localizado na parte da frente da máquina. funciona como um nextel. após a confissão, um sofisticado sistema de reconhecimento cruza os pecados cometidos e o nível de arrependimento do pecador. a máquina solta uma hóstia, embaladinha como um sachê de ketchup. em seguida, um recibo é impresso, que diz:

o(a) senhor(a) está puro de pecado, às xxh do dia xx de xxxx.
antes de comungar sua hóstia, reze xxx pai-nossos e xxx aves-maria
ATENÇÃO: este canhoto não garante o seu lugar no Céu.
 
 
Posted in ideias, roteiros | Tagged , , , , , | Leave a comment

chutes mentais levam a vitórias reais

quando o lateral escapou pela direita, você correu pelo meio, pedindo bola na entrada da área.

o passe veio forte, mas você não teve dúvida: bateu de primeira, com a parte de dentro do pé, tangenciando a bola, numa trivela invertida. o chute saiu com efeito, sem peso. parecia que ia para fora, mas descaiu, realizando uma “inspiral”, e entrou no canto do goleiro, que nem se mexeu. a torcida explodiu em êxtase.

no fim do jogo, taça erguida e felicidade geral. O repórter de campo veio entrevistar você, o herói, sobre o gol do título:
– que golaço, meu amigo! uma batida na bola com rara felicidade! conte como foi…
– cara, eu treino esse chute mentalmente há meses… sabia que ia entrar!

poucos entenderam o que você quis dizer. mas sua mulher, em casa, assistindo à transmissão, sorriu e chorou. você não era maluco, afinal: você estava treinando para fazer o gol do título.

Posted in prosa | Tagged | Leave a comment